Deriva psicogeográfica pelo bairro

Todos os anos, os alunos do Ensino Médio do Oswald são recebidos com uma Aula Magna que apresenta questões norteadoras do ano que vem pela frente. A 2ª série, este ano, começou esta trajetória com as primeiras investigações e exercícios de Derivas pela cidade.

O trabalho do Projeto Derivas reúne Geografia, História, Artes Visuais, Música e Dança em um Estudo do Meio que marca esta série nos aprendizados e expressões sobre o mundo ao redor da escola. Em uma sequência de saídas realizadas ao longo do ano, os alunos irão conhecer diferentes localidades e realidades da cidade de São Paulo.

Para mediar esta relação com a cidade, a teoria da Deriva Psicogeográfica, somada a outras temáticas, provocam os estudantes a olhar de forma consciente para a multiplicidade e complexidade do ambiente urbano em que vivem.

Questões como “como você define São Paulo?”,” você conhece algo sobre a história do seu bairro?” e “se fosse para escolher uma imagem de São Paulo que imagem seria essa?” foram trazidas na aula inaugural deste ano, pelo professor Amadeu Cardoso, que conduziu a Aula Magna apresentando alguns conceitos e investigações que serão propostas ao longo do ano, aliadas ao Estudo do Meio.

A partir de um território estipulado ao redor da Unidade Cerro Corá, a turma então saiu para realizar sua primeira deriva e “rumar deixando que o meio urbano crie seus próprios caminhos”, como sugere Guy Debord, responsável pela teoria. Neste exercício, os alunos também registraram com fotos, vídeos e gravações de sons, a sua experiência urbana, como condução dos trabalhos de Artes Visuais e Música.