Página Principal2018-08-20T03:30:03+00:00

Orientação Profissional

Orientação Profissional

OP NA ESCOLA

E depois do Oswald?

Uma das questões importantes para o Oswald diz respeito ao percurso dos alunos depois do Ensino Médio. A finalização dessa etapa é um marco da passagem dos jovens para o mundo público, com todos os seus desafios. Vestibular, universidade, mundo do trabalho e inserção no mundo adulto são temas centrais do debate com os estudantes. Desde 1988 o Colégio desenvolve o Projeto de Orientação Profissional. Coordenado por uma equipe de psicólogos especialistas no tema, o Projeto de OP é considerado referência na área. Já foi apresentado e debatido em congressos de educação e psicologia e foi objeto de diversas publicações. A Orientação se desenvolve de maneira gradual, do 9º ano do Ensino Fundamental ao 3ª série do Ensino Médio. O objetivo é estimular cada aluno a desenvolver um projeto próprio de futuro. Deve haver nele uma relação próxima e dialógica entre a escolha profissional, o vestibular, o Enem, as perspectivas de vida e a dimensão pública das ações individuais e coletivas.

A orientação profissional no Oswald

Aulas de orientação profissional: os debates e as investigações As questões ligadas à escolha profissional e à construção de projetos pessoais relacionados ao mundo do trabalho são focos importantes do currículo e das metodologias de nossa escola.

Isso é desenvolvido de maneira mais intensa a partir do 9o. ano do EFII e se torna mais presente ao longo do Ensino Médio, em diversas atividades curriculares e extracurriculares. As inserções da Orientação Profissional no 9o. ano do Fundamental do e no 1o. ano do Ensino Médio são realizadas em conjunto com os professores de cada série e dialogam com projetos elaborados dentro de cada disciplina. São atividades que visam estimular a reflexão do aluno acerca de seu percurso e suas escolhas. Já no 2o. ano do Ensino Médio as atividades de Orientação Profissional se dão em encontros que visam aproximar os alunos das questões que cercam a escolha por uma carreira. No 3o. ano do EM, os encontros de Orientação Profissional duram todo um semestre em salas de aula com turmas reduzidas, e têm como foco três eixos principais: autopercepção, informação e projeto de futuro. É uma disciplina curricular em que os alunos debatem, pesquisam e realizam visitas a locais de trabalho e faculdades das áreas de seu interesse. Durante o segundo semestre do 3o .ano do EM é realizado o acompanhamento de cada aluno no seu projeto individual.

OP NA ESCOLA

E depois do Oswald?

Uma das questões importantes para o Oswald diz respeito ao percurso dos alunos depois do Ensino Médio. A finalização dessa etapa é um marco da passagem dos jovens para o mundo público, com todos os seus desafios. Vestibular, universidade, mundo do trabalho e inserção no mundo adulto são temas centrais do debate com os estudantes. Desde 1988 o Colégio desenvolve o Projeto de Orientação Profissional. Coordenado por uma equipe de psicólogos especialistas no tema, o Projeto de OP é considerado referência na área. Já foi apresentado e debatido em congressos de educação e psicologia e foi objeto de diversas publicações. A Orientação se desenvolve de maneira gradual, do 9º ano do Ensino Fundamental ao 3ª série do Ensino Médio. O objetivo é estimular cada aluno a desenvolver um projeto próprio de futuro. Deve haver nele uma relação próxima e dialógica entre a escolha profissional, o vestibular, o Enem, as perspectivas de vida e a dimensão pública das ações individuais e coletivas.

A orientação profissional no Oswald

Aulas de orientação profissional: os debates e as investigações As questões ligadas à escolha profissional e à construção de projetos pessoais relacionados ao mundo do trabalho são focos importantes do currículo e das metodologias de nossa escola.

Isso é desenvolvido de maneira mais intensa a partir do 9o. ano do EFII e se torna mais presente ao longo do Ensino Médio, em diversas atividades curriculares e extracurriculares. As inserções da Orientação Profissional no 9o. ano do Fundamental do e no 1o. ano do Ensino Médio são realizadas em conjunto com os professores de cada série e dialogam com projetos elaborados dentro de cada disciplina. São atividades que visam estimular a reflexão do aluno acerca de seu percurso e suas escolhas. Já no 2o. ano do Ensino Médio as atividades de Orientação Profissional se dão em encontros que visam aproximar os alunos das questões que cercam a escolha por uma carreira. No 3o. ano do EM, os encontros de Orientação Profissional duram todo um semestre em salas de aula com turmas reduzidas, e têm como foco três eixos principais: autopercepção, informação e projeto de futuro. É uma disciplina curricular em que os alunos debatem, pesquisam e realizam visitas a locais de trabalho e faculdades das áreas de seu interesse. Durante o segundo semestre do 3o .ano do EM é realizado o acompanhamento de cada aluno no seu projeto individual.

JORNADA DE PROFISSÕES

A Jornada de Profissões, realizada anualmente para alunos do 9o ano do EFII e de todo o Ensino Médio, visa fornecer ao aluno informações acerca de diferentes profissões e percursos de carreira. A partir de palestras com profissionais de diversas áreas, muitos deles da nossa comunidade, são discutidos os cursos universitários, o cotidiano das profissões, o mercado de trabalho e outros temas relacionados aos percursos de formação em diferentes campos. Também participam desse evento ex-alunos do Oswald, que dialogam com seus colegas sobre as questões relativas à preparação para o ENEM e vestibulares e sobre os desafios da vida universitária.

JORNADA DE PROFISSÕES

A Jornada de Profissões, realizada anualmente para alunos do 9o ano do EFII e de todo o Ensino Médio, visa fornecer ao aluno informações acerca de diferentes profissões e percursos de carreira. A partir de palestras com profissionais de diversas áreas, muitos deles da nossa comunidade, são discutidos os cursos universitários, o cotidiano das profissões, o mercado de trabalho e outros temas relacionados aos percursos de formação em diferentes campos. Também participam desse evento ex-alunos do Oswald, que dialogam com seus colegas sobre as questões relativas à preparação para o ENEM e vestibulares e sobre os desafios da vida universitária.

SIMULADOS

Essa atividade proporciona ao aluno conhecer os principais tipos de prova que realizará ao final do Ensino Médio. Além disso, permite que ele faça um diagnóstico acerca do conhecimento que já possui para que possa se planejar com relação à sua preparação para os processos seletivos das instituições de Ensino Superior. Além de conhecer a estrutura dos exames, o aluno desenvolve sua capacidade de administração do tempo e estratégias para resolver diferentes tipos de vestibulares, sejam eles provas teste, dissertativas ou de habilidades específicas. Ao longo do ensino médio, o aluno realizara simulados da FUVEST, do ENEM e de outras universidades e faculdades específicas que sejam do seu interesse. Desde 2013 contamos com a parceria da Tuneduc, que através da plataforma Módulo Enem permite o acompanhamento do desempenho dos nossos alunos egressos nos exames do Enem, bem como na produção de bons instrumentos diagnósticos a respeito do desempenho de cada aluno nas provas ainda durante o Ensino Médio.

Através dessas e outras ferramentas, os alunos do Ensino Médio ficam sabendo como andam seus conhecimentos em relação aos conteúdos, habilidades e competências desenvolvidos ao longo da escolaridade básica e podem, com isso, melhor planejar seus estudos.

SIMULADOS

Essa atividade proporciona ao aluno conhecer os principais tipos de prova que realizará ao final do Ensino Médio. Além disso, permite que ele faça um diagnóstico acerca do conhecimento que já possui para que possa se planejar com relação à sua preparação para os processos seletivos das instituições de Ensino Superior. Além de conhecer a estrutura dos exames, o aluno desenvolve sua capacidade de administração do tempo e estratégias para resolver diferentes tipos de vestibulares, sejam eles provas teste, dissertativas ou de habilidades específicas. Ao longo do ensino médio, o aluno realizara simulados da FUVEST, do ENEM e de outras universidades e faculdades específicas que sejam do seu interesse. Desde 2013 contamos com a parceria da Tuneduc, que através da plataforma Módulo Enem permite o acompanhamento do desempenho dos nossos alunos egressos nos exames do Enem, bem como na produção de bons instrumentos diagnósticos a respeito do desempenho de cada aluno nas provas ainda durante o Ensino Médio.

Através dessas e outras ferramentas, os alunos do Ensino Médio ficam sabendo como andam seus conhecimentos em relação aos conteúdos, habilidades e competências desenvolvidos ao longo da escolaridade básica e podem, com isso, melhor planejar seus estudos.

ENEM

O que é o Enem?

O ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) foi criado em 1998 com o objetivo de avaliar o desempenho dos estudantes ao fim da educação básica, buscando contribuir para a melhoria da qualidade desse nível de escolaridade. A partir de 2009 houve uma alteração significativa no modelo de prova, que passou a ter 180 questões de múltipla escolha (45 de cada área do conhecimento, a saber: Ciências Humanas e suas Tecnologias, Ciências da Natureza e suas Tecnologias, Linguagens e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias) e uma redação, realizadas em dois dias de provas. Passou a ser utilizado também como mecanismo de seleção para o ingresso no ensino superior. As mudanças implementadas no Exame visavam contribuir para a democratização das oportunidades de acesso às vagas oferecidas por Instituições Federais de Ensino Superior (IFES), para a mobilidade acadêmica e para induzir a reestruturação dos currículos do ensino médio. Hoje, mais de 150 universidades federais utilizam o Enem no seu processo seletivo, a maior parte delas pelo SiSU (Sistema de Seleção Unificada), programa do governo federal que teve sua primeira edição em 2010 e seleciona estudantes para instituições federais e estaduais de ensino superior. O Enem também é utilizado para o acesso a programas oferecidos pelo Governo Federal, como o ProUni . As universidades estaduais paulistas (USP, UNESP e UNICAMP) e as instituições de ensino particulares da cidade de São Paulo, não utilizavam, ou faziam uso facultativo do Enem no seu processo seletivo. A partir de 2015 a Universidade de São Paulo passou a aderir ao SiSU adotando políticas diferentes para cada uma de suas unidades. Esse dado aponta para uma tendência de maior universalização do Exame nos processos seletivos. No site do Inep é possível obter esses e outros dados a respeito do Enem.

O que é o Enem?

Valorizamos e apoiamos politicamente o Enem. Ele tem contribuído efetivamente com o avanço da democratização do acesso ao ensino superior e ampliado as possibilidades de escolha profissional dos jovens, além de desempenhar um papel importante como instrumento de avaliação do ensino básico em nível nacional. Por isso, mantemos com esse exame um diálogo intenso, estimulando a participação dos nossos alunos e preparando-os para que obtenham bons resultados. As avaliações externas oferecem, frequentemente, boas oportunidades para revermos os nossos processos internos, currículo, didática, avaliar cursos e melhorar a qualidade do que oferecemos aos nossos alunos. No entanto, é importante destacar que o Enem não avalia uma série de habilidades importantes para o cidadão do século XXI, como, por exemplo, o trabalho em equipe, a comunicação verbal, as expressões corporais e artísticas, os conteúdos que fogem do currículo tradicional, a ética e o respeito ao outro. A proposta pedagógica do Colégio Oswald visa uma formação ampla dos alunos e, portanto, investe no desenvolvimento dessas habilidades. Iniciativas como o Projeto Rede, Projeto de Intervenção, Teses, Oficinas, Rupturas, Concurso de Declamação, cursos curriculares como Economia, Psicologia, Teatro, Dança, Artes Visuais, Música, Esportes e Circo são exemplos de como valorizamos e promovemos uma formação integral. A criação de contextos para exposição verbal e trabalho em equipe é algo que faz parte do dia a dia da nossa escola. Dessa forma, temos consciência das potencialidades e das limitações do exame do Enem para avaliar os nossos alunos e, consequentemente, o nosso projeto pedagógico.

ENEM

O que é o Enem?

O ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio) foi criado em 1998 com o objetivo de avaliar o desempenho dos estudantes ao fim da educação básica, buscando contribuir para a melhoria da qualidade desse nível de escolaridade. A partir de 2009 houve uma alteração significativa no modelo de prova, que passou a ter 180 questões de múltipla escolha (45 de cada área do conhecimento, a saber: Ciências Humanas e suas Tecnologias, Ciências da Natureza e suas Tecnologias, Linguagens e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias) e uma redação, realizadas em dois dias de provas. Passou a ser utilizado também como mecanismo de seleção para o ingresso no ensino superior. As mudanças implementadas no Exame visavam contribuir para a democratização das oportunidades de acesso às vagas oferecidas por Instituições Federais de Ensino Superior (IFES), para a mobilidade acadêmica e para induzir a reestruturação dos currículos do ensino médio. Hoje, mais de 150 universidades federais utilizam o Enem no seu processo seletivo, a maior parte delas pelo SiSU (Sistema de Seleção Unificada), programa do governo federal que teve sua primeira edição em 2010 e seleciona estudantes para instituições federais e estaduais de ensino superior. O Enem também é utilizado para o acesso a programas oferecidos pelo Governo Federal, como o ProUni . As universidades estaduais paulistas (USP, UNESP e UNICAMP) e as instituições de ensino particulares da cidade de São Paulo, não utilizavam, ou faziam uso facultativo do Enem no seu processo seletivo. A partir de 2015 a Universidade de São Paulo passou a aderir ao SiSU adotando políticas diferentes para cada uma de suas unidades. Esse dado aponta para uma tendência de maior universalização do Exame nos processos seletivos. No site do Inep é possível obter esses e outros dados a respeito do Enem (http://portal.inep.gov.br/web/enem/enem).

O que é o Enem?

Valorizamos e apoiamos politicamente o Enem. Ele tem contribuído efetivamente com o avanço da democratização do acesso ao ensino superior e ampliado as possibilidades de escolha profissional dos jovens, além de desempenhar um papel importante como instrumento de avaliação do ensino básico em nível nacional. Por isso, mantemos com esse exame um diálogo intenso, estimulando a participação dos nossos alunos e preparando-os para que obtenham bons resultados. As avaliações externas oferecem, frequentemente, boas oportunidades para revermos os nossos processos internos, currículo, didática, avaliar cursos e melhorar a qualidade do que oferecemos aos nossos alunos. No entanto, é importante destacar que o Enem não avalia uma série de habilidades importantes para o cidadão do século XXI, como, por exemplo, o trabalho em equipe, a comunicação verbal, as expressões corporais e artísticas, os conteúdos que fogem do currículo tradicional, a ética e o respeito ao outro. A proposta pedagógica do Colégio Oswald visa uma formação ampla dos alunos e, portanto, investe no desenvolvimento dessas habilidades. Iniciativas como o Projeto Rede, Projeto de Intervenção, Teses, Oficinas, Rupturas, Concurso de Declamação, cursos curriculares como Economia, Psicologia, Teatro, Dança, Artes Visuais, Música, Esportes e Circo são exemplos de como valorizamos e promovemos uma formação integral. A criação de contextos para exposição verbal e trabalho em equipe é algo que faz parte do dia a dia da nossa escola. Dessa forma, temos consciência das potencialidades e das limitações do exame do Enem para avaliar os nossos alunos e, consequentemente, o nosso projeto pedagógico.

VESTIBULARES

Apesar da busca de criação de novos modelos de acesso ao ensino superior, o vestibular no qual se realizam provas de conhecimentos gerais e específicos ainda é a principal porta de acesso para a universidade. Mesmo com o recente aumento do uso total ou parcial da nota do ENEM como parte dos processos seletivos, ainda temos, no estado de São Paulo, grandes vestibulares no qual o ENEM tem um peso reduzido, em especial o da FUVEST. Como estão os nossos alunos frente à essa realidade? Acreditamos que todo aluno que termina o ensino médio no Oswald está preparado para lidar com essa etapa, por diversos motivos. Alguns deles são:

VESTIBULARES

Apesar da busca de criação de novos modelos de acesso ao ensino superior, o vestibular no qual se realizam provas de conhecimentos gerais e específicos ainda é a principal porta de acesso para a universidade. Mesmo com o recente aumento do uso total ou parcial da nota do ENEM como parte dos processos seletivos, ainda temos, no estado de São Paulo, grandes vestibulares no qual o ENEM tem um peso reduzido, em especial o da FUVEST. Como estão os nossos alunos frente à essa realidade? Acreditamos que todo aluno que termina o ensino médio no Oswald está preparado para lidar com essa etapa, por diversos motivos. Alguns deles são:

Nossos alunos tem uma formação ampla e consistente em todas as principais áreas do conhecimento.

A estrutura e a organização do nosso currículo dialogam intensamente com as matrizes dos principais vestibulares e ENEM.

Ao longo do ensino médio, nossos alunos tem diversas experiências de realização de provas de longa duração, aprendendo a se preparar e organizar para esse tipo de exame.

Nossos alunos realizam simulado semelhantes a dos principais vestibulares do Brasil, tendo assim um contato prévio com as diferenças de modelos de exames das instituições de ensino superior.

O projeto de orientação profissional, que ajuda a colocar o vestibular como parte de uma projeto de vida mais amplo, auxilia os alunos de maneira individualizada nos seus percursos em relação aos vestibulares.

Esse conjunto de ações tem levado nossos alunos a excelentes resultados nos vestibulares dos quais têm participado. Em até um ano após o final do ensino médio, 90% deles estão colocados nas suas primeiras opções de curso nas principais instituições de ensino público e privadas do Brasil e, em alguns casos, no exterior.

Esse conjunto de ações tem levado nossos alunos a excelentes resultados nos vestibulares dos quais têm participado. Em até um ano após o final do ensino médio, 90% deles estão colocados nas suas primeiras opções de curso nas principais instituições de ensino público e privadas do Brasil e, em alguns casos, no exterior.